firefoxScreen Shot 23 Feb 2017 11.33.48 AMDurante muitos anos ele foi seu companheiro em caminhadas, passeios, viagens.. Você o viu crescer, pular, corresponder às brincadeiras além lhe fazer companhia. Agora, sua disposição já não é mais a mesma.

Os cães idosos em função da idade podem apresentar muitas vezes quadros de artrose, que são degenerações naturais das articulações, e que podem comprometer as atividades diárias, como caminhar, correr, pular. Nesses casos, os primeiros sinais que podem estar associados com a idade, mas que na verdade já são manifestações de dor, incluem a recusa em passear, cansaço mais rápido nos momentos de atividade, relutar em pular no sofá, cama e carro. Esses são os sinais mais sutis, que já nos dizem muita coisa! E normalmente a idade sozinha não é o principal causa dessas alterações de comportamento aparecerem: a dor é a principal “culpada”!

Associado as artroses, também se veem muitas alterações de coluna, onde o animal pode caminhar com mais dificuldade e incoordenação, arrasta as patinhas, fica com a cauda caída e começa a emagrecer a musculatura das patas e do corpo em geral.

A fisioterapia nesses casos é de extrema importância, pois atua desinflamando as estruturas que estejam irritadas por problemas agudos ou crônicos dolorosos (como são as artroses). Além disso, fortifica a musculatura dos membros e do sistema cardio-respiratório, através do uso de equipamentos de fisioterapia e também exercícios de baixo impacto favorecidos pela esteira aquática, um dos equipamentos mais sofisticados e que traz benefícios ímpares à qualidade de vida dos pacientes.

Vale lembrar que muitos pacientes idosos possuem outras doenças como problemas gastrointestinais, problemas renais, hepáticos, entre outros, o que pode desfavorecer tratamentos prolongados com medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos, sendo a fisioterapia um complemento ao tratamento clínico dos pacientes. Sendo assim, os veterinários Jennifer Hummel e Gustavo Vicente, proprietários da clínica Mundo à Parte, dão algumas dicas para quem tem um bichinho idoso em casa.

DICAS IMPORTANTES:

– Evite pulos, subir e descer escadas e objetos da casa já é um grande passo. O uso de rampas ou degraus intermediários já auxiliam os velhos amigos a evitar movimentos bruscos.

– Indica-se usar tapetes antiderrapantes em casa onde o piso seja muito liso, assim o pet pode fazer suas atividades sem escorregar ou ficar com dificuldade em levantar depois de muito tempo deitado.

– Colchões baixos e com densidade de colchonete maior podem contribuir positivamente para uma melhor noite de sono!

– Procure passear com o pet em horários frescos, principalmente no verão. Se nessas condições o animal estiver ficando cansado mais rápido que o normal, quiser sentar ou deitar mais vezes ao longo do passeio, procure um veterinário, pois isso não é a atitude normal. Geralmente aí começam os primeiros sinais de artrose e necessidade da fisioterapia.