A Páscoa se aproxima e nunca é demais lembrar que ovos de chocolate não devem ser compartilhados com os animais de estimação. Olhares, apelos, resmungos, súplicas, birras, chantagens e todas as tentativas de cães e gatos para chamar a atenção e ganhar a guloseima devem ser ignoradas pelos donos. Maldade? Não, isto é cuidado com o seu melhor amigo!

De acordo com a médica veterinária especialista em nutrição Keila Regina de Godoy, o chocolate é um dos maiores vilões para a saúde dos animais. O fígado dos pets não metaboliza direito uma substância presente no chocolate, chamada teobromina, que está relacionada com o teor de gordura do chocolate.

– Quanto menos gordura, mais teobromina a guloseima contém, o que significa que quanto mais amargo e escuro o chocolate, mais tóxico ao animal ele é. A substância age intensamente no organismo, podendo provocar o aumento de contrações musculares, excitação nervosa, micção em excesso, elevação da temperatura corporal, respiração acelerada, taquicardia, vômitos e diarreia – alerta a veterinária.

A intoxicação por teobromina geralmente ocorre em animais pequenos e jovens, por serem menos seletivos e devido à quantidade de toxina em relação ao peso. Portanto, é importante ficar atento e não deixar ovos e bombons em locais acessíveis a cães e gatos. Eles podem se sentir atraídos pelo cheiro, pela embalagem e “roubar” sem que os donos percebam. Também é importante orientar as crianças para que não ofereçam a guloseima. Em caso de ingestão acidental, o animal deve ser avaliado por um médico veterinário.

ALIMENTOS PERIGOSOS PARA CÃES E GATOS:

– Abacate: Folhas, semente e a fruta do abacate contem uma substância tóxica chamada persina, que pode provocar desarranjo gastro-intestinal. Tóxico principalmente para gatos.

– Alimentos açucarados: Pode levar à obesidade , problemas dentários e, eventualmente, a diabetes.

– Alimentos Infantis: Pode conter cebola em pó, que pode ser tóxico para cães. Também pode resultar em deficiências nutricionais, se alimentados em grandes quantidades.

– Batatas crua, inhame e madioquinha: apresentam solamina, uma toxina que pode deprimir o sistema nervoso central e provocar distúrbios gastrointestinais.

– Bebidas alcoólicas: Qualquer tipo de álcool pode ser tóxico para o animal, podendo causar coma ou até morte.

– Berinjela: Tóxica para os gatos

– Brócolis: faz mal se oferecido em grande quantidade.

– Cogumelos: Diferentes tipos de cogumelos que pode ter efeitos variados em animais de estimação, tais como, depressão, diarréia, náuseas e vômitos, dor abdominal, lacrimejamento, alucinações, defecação, insuficiência hepática, convulsões, salivação excessiva, micção, insuficiência renal, danos no coração, hiperatividade, e em alguns casos, morte.

– Chocolate, café, chá e outras cafeínas: Pode resultar em aumento da respiração e da freqüência cardíaca, e afeta o sistema nervoso central. O envenenamento por chocolate pode causar batimentos cardíacos irregulares e ritmo, agitação, hiperatividade, diarréia, vómitos, respiração ofegante, tremores musculares, dor abdominal, sangue na urina e aumento da temperatura corporal. Em grandes quantidades, o chocolate provoca o coma e até a morte. Se o seu animal comeu uma grande quantidade de chocolate, procure saber como proceder com um veterinário, pois os efeitos muitas vezes só vem horas depois.

– Cebola, alho e cebola em pó: Podem provocar problemas gastrointestinais, como vômitos e diarréia, sendo mais grave em gatos. O alho é menos tóxico do que as cebolas.

– Espigas de milho: Uma causa comum de obstrução intestinal que requer remoção cirúrgica.

– Espinafre: Devem ser evitados completamente em gatos com problemas urinários.

– Fermento, presente em massas: Pode ser perigoso, pois irá se expandir e resultar em gases, causando dor, podendo causar ruptura do estômago ou intestino.

– Figado em excesso: Pode causar toxicidade da vitamina A. Essa toxicidade afeta músculos e ossos.

– Frituras em geral

– Laranjas, limões e frutas cítricas em geral: podem causar vômitos ou diarréia.

– Leite e outros produtos lácteos: Alguns cães e gatos adultos não têm quantidades suficientes da enzima lactase, que quebra a lactose no leite. Isso pode resultar em diarréia.

– Nozes: Pode provocar problemas gastrointestinais, como vômitos e diarréia, bem como problemas respiratórios, tais como espirros, respiração e tosse.

– Ossos de peixes, aves, carnes ou outras fontes: Pode causar obstrução ou laceração do sistema digestivo. Lascas de ossos de galinha também pode se alojar internamente.

– Ovos crus: Contêm uma enzima chamada avidina, que diminui a absorção de biotina (vitamina B). Isso pode levar a problemas de pele e nos pelos. Ovos crus também podem conter Salmonella.

– Ossos cozidos: Podem lascar e causar perfuração intestinal, bem como bloqueios no intestino fraturas de dentes. Pedaços podem ficar presos em todo o céu da boca

– Peixe Cru: Pode resultar em uma deficiência de tiamina (vitamina B), que leva à perda de apetite, convulsões e em casos severos, morte. Essa intoxicação é mais comum se o peixe cru é oferecido regularmente, com frequência.